quarta-feira, 24 de março de 2010

FIGURAS ILUSTRES DE AMARANTE - Amadeo de Sousa-Cardozo


Amadeo de Sousa-Cardozo, nasceu em Manhufe, freguesia de Mancelos, em Amarante, dia 14 de Novembro de 1887 e morreu em Espinho, dia 25 de Outubro de 1918. Foi um pintor português, precursor da arte moderna, prosseguindo o mesmo caminho que os artistas de vanguarda da sua época traçaram. Embora tenha vivido pouco tempo, a sua obra tornou-se imortal.



Biografia

A sua família, rica, influenciou-o a ingressar no curso de Direito na Universidade de Coimbra. No entanto, Amadeo desistiu do curso e mudou para Arquitectura na Academia de Belas Artes de Lisboa em 1905. O curso não satisfazia o seu génio criativo, por isso partiu para Paris em 1906, com intenção de continuar a estudar. Começou por se dedicar aos desenhos e caricaturas, dedicando-se, mais tarde, à pintura. Foi um pintor multifacetado, uma vez que criou obras impressionistas, expressionistas, cubistas e futuristas.

Em 1908, instalou-se no número catorze da Cité de Falguière. Frequentou ateliers preparatórios para a Academia das Beaux-Arts e a Academia Viti do pintor catalão Anglada Camarasa mas, apesar disso, não chegou a ser admitido. Em 1910, esteve alguns meses em Bruxelas e, em 1911, expôs trabalhos no Salon des Indépendants, em Paris, aproximando-se das vanguardas e de artistas como Amedeo Modigliani, Constantin Brancusi, Alexander Archipenko, Juan Gris e Robert Delaunay.

Depois de participar numa exposição realizada em 1913 no Armory Show nos EUA, voltou para Portugal, fez duas exposições, uma no Porto e outra em Lisboa. Nesse ano, participou ainda no Herbstsalon da Galeria Der Sturm, em Berlim.

Em 1914, encontrava-se em Barcelona com Antoni Gaudí e parte para Madrid, onde é surpreendido pelo início da I Guerra Mundial. Regressou a Portugal, onde iniciou uma carreira na experimentação de novas formas de expressão, tendo pintado constantemente, ao ponto de, em 1916, expor no Porto, 114 obras, que foram também expostas em Lisboa, com novidade e algum escândalo.

O cubismo em expansão por toda a Europa foi uma influência marcante no seu cubismo analítico.

Amadeo de Sousa-Cardozo explorou o expressionismo e, nos seus últimos trabalhos, experimenta novas formas e técnicas, como as colagens e outras formas de expressão plástica.

Em 25 de Outubro de 1918, aos 31 anos de idade, morre prematuramente em Espinho, vítima da "pneumónica" que grassava em Portugal.


Foto: http://1.bp.blogspot.com/_oFhT1ead4iw/SQRfK7SXXTI/AAAAAAAAGJU/llJl5VR-anA/s400/pag2_1.jpg

Sem comentários:

Enviar um comentário